sábado, 14 de março de 2015

Viriathos, primeiro imediato do Caveira Vermelha.

Viriathos, primeiro imediato do Caveira Vermelha.

Nascido e criado nas províncias costeiras, sempre se envolveu com a vida em alto mar. Quando era jovem, limpava fossas de navios mercantes shemitas e por um bom tempo assim permaneceu até que fosse permitido aos ensinamentos que o tornaria algo um pouco além de um criado. De criado a marujo e de marujo a capataz, Viriathos passou anos de sua vida açoitando os escravos Zíngaros do príncipe mercante Shizar Haqin. Longos e dolorosos, porém necessários, anos em que a carne de seus conterrâneos foram as únicas cortadas pelo seu chicote.
Logo após ter sido declarado um dos homens de maior confiança do gordo e implacável mercante, Viriathos organizara o brutal motim que dizimou o galé Shemita. Shizar Haqin morreu lentamente frente a mais de 50 chicotadas, rolando pelo convés e grunhindo como um porco sendo abatido. A embarcação, a carga e todos os recém escravizados tripulantes foram vendidos na ilha de Sergovia, e o lucro dividido com o seu, até então, maior aliado e responsável por auxiliar no levante, Ivanos. O único Shemita que não fora vendido como escravo para o Mestre das Docas de Sergovia, acabou sendo levado por Viriathos a bordo da embarcação Zíngara como seu criado pessoal. Atualmente ele assume o timão da mesma; Seu nome é Dhul Fazan.
Tal ato traiçoeiro rendeu ao pirata uma posição de prestígio no Caveira Vermelha, o galeão Zíngaro de Ivanos, além do apelido “Mamba Negra” na costa de Shem. O característico açoite ainda pende em seu cinto de couro, só sendo removido de lá sob as ordens de seu capitão.
"#matheusmarraschi

Viriathos, primeiro imediato do Caveira Vermelha.

Nascido e criado nas províncias costeiras, sempre se envolveu com a vida em alto mar. Quando era jovem, limpava fossas de navios mercantes shemitas e por um bom tempo assim permaneceu até que fosse permitido aos ensinamentos que o tornaria algo um pouco além de um criado. De criado a marujo e de marujo a capataz, Viriathos passou anos de sua vida açoitando os escravos Zíngaros do príncipe mercante Shizar Haqin. Longos e dolorosos, porém necessários, anos em que a carne de seus conterrâneos foram as únicas cortadas pelo seu chicote.



Logo após ter sido declarado um dos homens de maior confiança do gordo e implacável mercante, Viriathos organizara o brutal motim que dizimou o galé Shemita. Shizar Haqin morreu lentamente frente a mais de 50 chicotadas, rolando pelo convés e grunhindo como um porco sendo abatido. A embarcação, a carga e todos os recém escravizados tripulantes foram vendidos na ilha de Sergovia, e o lucro dividido com o seu, até então, maior aliado e responsável por auxiliar no levante, Ivanos. O único Shemita que não fora vendido como escravo para o Mestre das Docas de Sergovia, acabou sendo levado por Viriathos a bordo da embarcação Zíngara como seu criado pessoal. Atualmente ele assume o timão da mesma; Seu nome é Dhul Fazan.

Tal ato traiçoeiro rendeu ao pirata uma posição de prestígio no Caveira Vermelha, o galeão Zíngaro de Ivanos, além do apelido “Mamba Negra” na costa de Shem. O característico açoite ainda pende em seu cinto de couro, só sendo removido de lá sob as ordens de seu capitão."

2 comentários: