sábado, 14 de março de 2015

ANARQUISTAS (Vampiro: A Máscara)

Anarquistas, a pedra no caminho da maioria dos príncipes da Camarilla. Pregando seus ideais de liberdade, os anarquistas rebelam-se contra a Primigênie, rebelam-se contra os Antediluvianos, rebelam-se contra a personificação da soberba, representada pelos príncipes... Vampiros que rejeitam e questionam as regras e o poder da Camarilla. Rejeitam a tradição de Caim e a ordem dos anciões.Ironicamente os anciões relutantemente conferem aos anarquistas algum grau de status devido à sua habilidade em conquistar poder, apesar da oposição.Os anarquistas também são respeitados por sua paixão e esforço, coisa que poucos anciões, endurecidos pela idade e pela insatisfação são capazes de reunir.Basicamente, no entanto, a maioria dos Membros considera os anarquistas como chacais, revirando o lixo da não-vida para comer o que escorrega das mãos dos anciões.



Os Anarquistas não são considerados dissociados da Camarilla.Os anarquistas se opõem ao status quo do mundo dos vampiros. Desdenham das leis do Príncipe e, por conseqüência, das da Camarilla, ao considerá-las não mais que uma forma de escravidão. No entanto, os príncipes não permitem que os Membros se desgarrem do rebanho tão facilmente, e empenham todos os seus poderes para conseguir que regressem ao seio da família e evitar futuras revoltas.

A Camarilla apóia os príncipes com seus Justicar e Arcontes. Sendo que há casos em que esses agentes usaram seus poderes contra os príncipes, porém, quando se trata de uma ameaça Anarquista, todas as partes agem em uníssono, colaborando para sufocar qualquer tipo de rebelião contra suas leis. Qualquer deserção é abafada o quanto antes, ainda que estes poderes devam atuar com cautela, se não quiserem fazer com que surjam protestos ainda maiores.Para os anarquistas é a guerra. Na maioria das cidades da Camarilla, se trata de uma guerra fria, onde o intercâmbio de golpes se produz em um nível ideológico, alternado com um ou outro episódio de violência física. Cada vez mais neófitos caminham em bandos por esses dias, sem que as fileiras dos anarquistas deixem de crescer.

Os vampiros da nova geração, acostumados como mortais ao mundo da bomba atômica e da televisão sem alma, carecem de qualquer tipo de estrutura sobre a qual edificar suas novas vidas eternas: se a maioria não esperava sequer chegar aos trinta, imagina aos trezentos!


"Vampire: The Masquerade - Bloodlines"

Um comentário:

  1. Ótima passagem, irei utilizar (adaptado) em uma campanha de fantasia medieval, ded 3.5 pra representar uns desertores que os PJs encontraram e não sabem sobre sua identidade. Somente algumas pistas sobre vampirismo, necromancia etc. É um bom gancho para inserir um regime anarquista e diversificar as sociedades clichês do mundo medieval.

    ResponderExcluir